Home Mail Cadastre-se Contato
Em livro, Edir Macedo prega que evangélicos tomem o poder
22 / 09 / 2008

Lançado a duas semanas das eleições, o livro "Plano de poder", do fundador e líder da Igreja Universal do Reino de Deus, bispo Edir Macedo, prega que Deus tem um plano político para os fiéis da Igreja Universal do Reino de Deus e para os evangélicos que sejam seus aliados: governar o Brasil.

Fundador e chefe da Igreja Universal, Edir Macedo incita os evangélicos à mobilização partidária, seguindo o "projeto de nação" que Deus teria sonhado para os hebreus, que ele chama de cristãos. É o que mostra reportagem de Tatiana Farah, publicada na edição deste domingo do jornal O GLOBO.

"Tudo é uma questão de engajamento, consenso e mobilização dos evangélicos. Nunca, em nenhum tempo da história do evangelho no Brasil, foi tão oportuno como agora chamá-los de forma incisiva a participar da política nacional", escreve Macedo, estimando em 40 milhões a comunidade de evangélicos no país.

"A potencialidade numérica dos evangélicos como eleitores pode decidir qualquer pleito eletivo, tanto no Legislativo, quanto no Executivo, em qualquer que seja o escalão, municipal, estadual ou federal".

Sobrinho de Macedo, Marcello Crivella disputa a prefeitura do Rio pelo PRB, partido ligado à Igreja Universal.

Parlamentares evangélicos são 164, mas já não aumentam como antes

O Brasil conta atualmente com 164 parlamentares evangélicos, entre vereadores, deputados estaduais e federais e senadores, distribuídos por 18 partidos. O PRB de Crivella é o que concentra a maior bancada evangélica: dos 28 eleitos, 17 são de grupos religiosos (61% de seus parlamentares).

Criado em 2005, o partido, que tem na legenda o vice-presidente José Alencar, foi o que mais cresceu no ano passado, e é um dos ancoradouros dos pastores-candidatos da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd).

Segundo levantamento do Projeto Excelências, da ONG Transparência Brasil, o segundo maior reduto de evangélicos é o PSC, que, entre seus 47 parlamentares, elegeu 17 evangélicos (36% da bancada). O PMDB é o que tem, em números absolutos, o maior número de evangélicos (25), mas, em termos proporcionais, esse grupo representa apenas 7% do total de 373 parlamentares do partido.
 
Fonte FG News
 
  
 
 
Voltar