Home Mail Cadastre-se Contato
Dia do Evangélico será feriado nacional
16 / 10 / 2008

Com a assinatura da presidenta da República, Michele Bachelet, e a participação de bispos e pastores de diferentes igrejas evangélicas e protestantes, foi promulgada na sexta-feira, 10, a lei que estabelece o Dia Nacional das Igrejas Evangélicas e Protestantes, comemorado em 31 de outubro, como feriado no país.

Em ato ocorrido no palácio de La Moneda, a presidenta expressou que "a tarefa do Estado é proteger a liberdade de culto e garantir a atividade das igrejas no marco da Constituição. Alegra-nos que o Congresso tenha aprovado este corpo legal e, embora alguns assinalem que a aprovação de um novo feriado represente um importante custo ao país, veremos como compensá-lo, porque entendemos que se trata de um ato de justiça".

Segundo Bachelet, o Chile deu um passo adiante "ao assegurar a igualdade e a liberdade de culto nos hospitais públicos e nos centros carcerários". Somado a isso, disse a mandatária, este ano o país realizou um enorme avanço ao estabelecer os capelães evangélicos nas Forças Armadas.

A presidente recordou a figura e a contribuição do bispo Raimundo Valenzuela Arms, bispo emérito da Igreja Metodista do Chile, que faleceu no dia 28 de setembro, nos Estados Unidos, aos 92 anos de idade. Bachelet referiu-se ao bispo como pastor, professor universitário, fundador de obras sociais e estudantis e também como homem comprometido com os direitos humanos.

Através do Comitê Pró Paz, junto ao cardeal Raúl Silva Henríquez e o bispo luterano Helmut Frenz, e muitos outros, Valenzuela Arms defendeu com força o direito à vida de todos. "Estou certa de que ele estaria muito contente no dia de hoje de poder compartilhar esta grande alegria com o povo evangélico".

A lei 20.299 foi promulgada depois de dois anos de discussões entre o Poder Legislativo e os líderes do povo evangélico protestante. O projeto foi aprovado por unanimidade por ambas as câmaras, estabelecendo o Dia Nacional das Igrejas Evangélicas e Protestantes como feriado.

A iniciativa foi dos deputados Enrique Accorsi, Marcos Espinoza, Carlos Jarpa, Fernando Meza, Alberto Robles, Alejandro Sule e Samuel Venegas.

A data escolhida é significativa para as igrejas evangélicas e protestantes, uma vez que elas relembram as 95 teses que o reformador Martinho Lutero pregou na porta da igreja do Castelo de Wittenberg, na Alemanha, em 31 de outubro de 1517. Essa ação do monge da Ordem dos Agostinianos deu início à Reforma protestante.

 
Fonte: BWN
 
  
 
 
Voltar