Home Mail Cadastre-se Contato
A Bíblia precisa ser atualizada?
10 / 10 / 2020
A palavra do pastor Ed René Kivitz, sobre a necessidade de "rever alguns conceitos bíblicos" trouxe perplexidade e muitos debates no meio eclesiástico do Brasil.

Antes de me posicionar sobre esse tema, refleti muito sobre o assunto. Observei a natureza, a vida, ouvi muitas opiniões e seus argumentos e até onde a minha insignificante visão alcançou, percebi que "tornar-se atual", "adequar-se", "modernizar-se", é uma Verdade absoluta para tudo, exceto para as leis naturais, que regem o universo, como a lei da atração, ação e reação, inércia, etc.

Para as pessoas que acreditam que Deus existe e que a Bíblia contém a revelação de Sua vontade (eu sou uma delas), há também as leis de princípios morais, que foram instituídas por Deus, para organização social do seu povo. A princípio para os judeus e depois estendida aos demais. (Gentios).

O universo físico é um ditador! Suas leis são absolutamente indiscutíveis. Mas as leis sociais acompanham o desenvolvimento da humanidade. No início de tudo, a lei de Deus era simples: Não se podia "comer da árvore do conhecimento do bem e do mal". Falhamos nisso. Milênios mais tarde, na época de Moisés, há outros milênios antes de nós, centenas de leis foram instituídas; são as leis mosaicas, compostas por alguns parágrafos conflitantes com nossa cultura atual, como por exemplo: "o estuprador deve se casar com sua vítima, se ela não for casada" (Deut. 22:28-29) mas isso só funcionava num contexto demasiadamente machista, onde a mulher era subjugada e na maioria das vezes, tratada como uma "posse" do homem. Nos dias de hoje, o homem é punido por estupro, e não dá nem pra pensar em mudar isso, por quê nós evoluímos como sociedade. Graças a Jesus, desenvolvemos compaixão, empatia, que é a habilidade de sentir a aflição dos outros, independentemente do sexo, cor da pele e credo.

"Comprem escravos das cidades vizinhas", determina a Lei, em Levítico 25:44. Eu nem consigo me imaginar, pegando meu carro em Sorocaba e indo à Pilar do Sul, comprar um escravo. Tudo mudou! Hoje os homens podem até raspar a barba com uma navalha, diferente do que manda Levítico 19:27.

Existem 613 determinações na Lei Judaica, a maioria válida e vigente, mas muitas caducaram, simplesmente por quê nós evoluímos.

Ou seja: A lei que manda "queimar a filha de um pastor se ela se profanar", (Levítico 21:9) é a mesma que declara a homossexualidade como um pecado absurdo, igualmente passível de morte (Levítico 20:13).

Jesus foi o primeiro a atualizar conceitos ultrapassados das escrituras. Quem não se lembra da indagação: "quem nunca pecou que atire a primeira pedra"? Consta na Lei, que "prostitutas deveriam ser apedrejdas até a morte", mas Jesus interveio e salvou a coitada. (João 8:1-11) Jesus atualizou a Bíblia?

Jesus trabalhou no sábado, como era proibido, conversou com mulheres estranhas, o que também era proibido, trocou o "olho por olho" por "maldade se combate com amor", enfim, Ele mudou muitas coisas. Ele veio "cumprir as leis antigas". Cumpriu e as encerrou. Missão cumprida! "Eis que tudo se fez novo".

Hoje, nós temos o antigo e o novo testamento para nos posicionarmos sobre todas as situações da nossa vida. Havendo dúvida, corremos para a Bíblia. Mas você já parou para pensar que na época do apóstolo Paulo, só existia o antigo testamento? Pois é. Por conta disso, toda sua doutrina se lastreava nas antigas escrituras. Paulo, em sua trajetória de crescimento espiritual, entrou em diversos conflitos com alguns conceitos antigos da Lei mosaica que batiam de frente com as revelações e ensinamentos de Jesus. Por isso, com toda sua habilidade política, ele fazia alterações subliminares, em aspectos relevantes, como por exemplo, na lei de "não poder casar-se com pessoas descrentes". Quanto a isso, ele disse: "Aos outros, digo eu, não o Senhor: se um irmão desposou uma mulher pagã {sem a fé} e esta consente em morar com ele, não a repudie". (I Cor. 7:12). Se já na época dele, seria insustentável manter aquela norma. Imagine hoje, dois mil anos depois? Se vivesse hoje, Paulo, provavelmente, faria inserções de próprio punho, atualizando conceitos antigos, como o que fez acima e até mesmo em coisas que ele mesmo havia dito, como por exemplo, que "a mulher deve ficar calada nas igrejas".

Portanto, diante do que foi posto acima, penso que não devemos nos espantar se ouvirmos alguém sugerir que "algo deve ser revisto" na Bíblia. Não se trata de um absurdo. Não se trata também, de reescrever a Bíblia, nem mesmo, mudar palavras. O que está escrito, não deve ser mudado. É história. Mas rever conceitos é nobre, é razoável, é honesto, é bom.

Não podemos esquecer que a Bíblia contém a revelação de Deus, mas jamais desconsiderar que também contém a opinião pessoal dos escritores, tal como o próprio Apóstolo Paulo declarou: "Digo eu, não o Senhor" em I Cor. 7:12. Um pouco antes, em 1 Coríntios 6:9, Paulo fez uma listagem do perfil daqueles que não herdarão o reino dos céus: Os injustos, os imorais, os idólatras, adúlteros, afeminados, homossexuais, ladrões, avarentos, bêbados, maldizentes e por fim, os roubadores. Com certeza, ele fez esta listagem sob forte influência da lei judaica.

Se fôssemos analisar cada um desses casos, acho que o time dos "maldizentes" teria uma enorme representatividade no inferno, pois a maioria das pessoas maldizem seus desafetos em suas redes sociais. Você é testemunha disso, não? Será que estes, interpretam a Bíblia diferente, ou simplesmente sabem que não entrarão no céu e continuam maldizendo seus "Lulas e Bolsonaros", por exemplo? E quanto aos "ladrões"? Devemos incluir aqueles que alteram o valor da nota fiscal do almoço, para receberem mais de ressarcimento dos seus patrões, do que realmente gastaram? O que dizer então dos "injustos", se a Bíblia diz que "não há um justo sequer"? Ninguém vai pro céu então? Será que "disse Paulo, e não Deus"?

Não estou querendo confundir a mente de ninguém, mas apenas mostrar que nossas verdades são muito frágeis e insuficientes para nos qualificar como julgadores de quem sugere uma revisão de qualquer conceito que seja, construído, em parte, por uma mente humana.

Somos seres em construção e como Cristão que sou, acredito que só há uma pessoa que já esteja pronta, e que poderia mostrar uma qualidade segura do perfil da pessoa que está apta ao reino dos céus, que é Jesus. E Ele disse: "E a vida eterna é esta: que te conheçam a Ti, o Único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste".
(Joao 17:3). Jesus não condena pessoas, Ele as salva, com jugo suave e fardo leve. (Mateus 11:28-30)

Bater no peito e gritar que segue um dogma, é declarar que estagnou-se. É confiar no homem e nos seus ensinamentos falhos e sazonais. É ignorar o conselho de Paulo quando diz: "E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus". (Romanos 12:2)
 
Jetro Bernardo
 
  
 
 
Voltar