Home Mail Cadastre-se Contato
O Amor de Deus: a apresentação bíblica

“Todos odiarão vocês por minha causa, mas aquele que perseverar até o fim será salvo.” Mateus 10: 22

Nos dias de hoje, a forma de apresentar o Evangelho é “Deus ama você e tem um plano maravilhoso para sua vida”. Todavia nossa idéia do que pode ser “maravilhoso” e a idéia do mundo podem ser um tanto diferentes. Convide um pecador a passear pelas páginas do livro de Atos e mostre-lhe a terrível cena em que Estevão teve seus ossos quebrados ao ser apedrejado. Depois sorria e sussurre: “Que maravilhoso!” Ouçam juntos, você e o pecador, as chibatadas do chicote de couro que rasgou a pele das costas do apóstolo Paulo. Sigam as citações da palavra “sofrimento” através das epístolas e vejam se conseguem fazer com que o mundo sussurre: “Ah que maravilhoso!” Depois dessa caminhada pela “Rua da Honestidade”, uma pessoa do mundo poderia considerar os prazeres do pecado um pouco mais atraentes do que o chamado para “sofrer aflições junto com o povo de Deus”. John MacArthur disse: “Precisamos corrigir nossa forma de apresentar o Evangelho. Não podemos negar o fato de que Deus odeia o pecado e pune os pecadores com o tormento eterno. Como podemos iniciar nossa exposição do Evangelho dizendo para as pessoas que estão rumando para o inferno que Deus tem um plano “maravilhoso” para suas vidas?”
Quantas pessoas no mundo nos dariam ouvidos, se fôssemos tão flagrantemente honestos a respeito da vida cristã? Talvez não tantas pessoas quanto as que ouviriam uma exposição sobre um tal “plano maravilhoso”. Contudo, a resposta para nosso dilema é torná-lo uma questão de justiça, e não de felicidade. É isso que Jesus faz. Ele utiliza os Dez Mandamentos para mostrar aos pecadores o justo padrão de Deus Lucas 10: 25-26 “E eis que se levantou um certo doutor da lei, tentando-o e dizendo: Mestre, que farei para herdar a vida eterna? E ele lhe disse: Que está escrito na lei? Como lês?”; Lucas 18: 18-20 “E perguntou-lhe um certo príncipe, dizendo: Bom Mestre, que hei de fazer para herdar a vida eterna? Jesus lhe disse: Por que me chamas bom? Ninguém há bom, senão um, que é Deus. Sabes os mandamentos: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não dirás falso testemunho, honra a teu pai e a tua mãe.” Depois que o mundo tomar conhecimento do padrão perfeito pelo qual será julgado, ele começará a temer a Deus; por intermédio desse temor do Senhor é que os homens abandonam o pecado Provérbios 16: 6 “Pela misericórdia e pela verdade, se purifica a iniqüidade; e, pelo temor do Senhor, os homens se desviam do mal.” Assim as pessoas começarão a ter fome e sede de justiça, da justiça que só pode ser encontrada em Cristo Jesus. Se você estudar o Novo Testamento, saberá que o amor de Deus é quase sempre derramado em correlação direta com a cruz; “Deus amou tanto o mundo”, “Deus derramou seu amor”, “Deus demonstra seu amor por nós” etc. A cruz é o ponto central do amor de Deus pelo mundo. A maneira bíblica de expressar o amor de Deus para com um pecador é mostrar a ele o tamanho de seu pecado – utilizando a Lei Romanos 7: 13 “Logo, tornou-se-me o bom em morte? De modo nenhum! Mas o pecado, para que se mostrasse pecado, operou em mim a morte pelo bem, a fim de que pelo mandamento o pecado se fizesse excessivamente maligno.”; Gálatas 3: 24 “De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, para que, pela fé, fôssemos justificados.” E depois comunicar-lhe a indescritível graça de Deus derramada por Jesus Cristo. Quando utilizar a Lei para mostrar ao mundo a verdadeira situação em que ele vive, prepare-se para ouvir o agradecimento dos pecadores. Pela primeira vez em suas vidas, eles ouvirão a mensagem cristã como expressão do amor e preocupação pelo seu destino eterno, em vez de serem meramente atraídas para um melhor estilo de vida neste mundo. Que Deus continue nos abençoando.

Ariovaldo Leite Júnior
ari@salvos.com.br

21/02/09