Home Mail Cadastre-se Contato
Construindo um Lar Cristão
Palavras abençoadas, orientadoras. Parabéns!...
O acordar pela manhã e o “acordar” para a vida têm muito em comum: a qualidade de sua continuação dependerá, em muito, de como eles transcorrerem


Um homem tinha dois ingressos preferenciais para a festa de encerramento das Olimpíadas. Chegando ao estádio tomou seu lugar na arquibancada. Já em meio à linda programação, um outro homem nota que um dos lugares estava vazio. Então, se aproxima e pergunta se o assento estava livre. Ao obter uma resposta positiva retruca:

- É incrível! Quem, em seu juízo perfeito, tem um lugar como este, para a final das Olimpíadas, e não o usa?

O primeiro homem olha para seu interlocutor e responde:

- Bom, na realidade, o lugar também é meu. Eu o comprei há dois anos, com bastante antecedência. Minha esposa viria comigo, mas ela faleceu. Nós planejávamos assistir um final de Olimpíadas juntos e decidimos que, quando os Jogos Olímpicos ocorressem na Grécia, daríamos um jeito de vir. Este é um sonho antigo que começamos a acalentar desde que nos casamos, em 1982.

Entre surpreso e comovido o outro diz:

- Mas que pena que isso tenha acontecido! É terrível...

- Mas você não encontrou outra pessoa que pudesse vir no lugar de sua esposa: um amigo, um vizinho, um parente... que quisesse o lugar?

O homem nega com a cabeça e responde:

- Não... todos preferiram ficar para o velório!

Você levou um susto não foi? Esta piadinha tragicômica tem circulado pela Internet, alterando apenas os eventos, dependendo da ocasião: Copa do Mundo, Olimpíadas, corrida de Fórmula 1, ou algum show famoso. O intuito, porém, é o mesmo: mostrar a diferença das prioridades nas vidas das pessoas.

Todos têm prioridades. Como ouvimos freqüentemente, sempre achamos tempo para as coisas que realmente são importantes para nós. Por isso é essencial que tenhamos um referencial confiável para estabelecer essas prioridades.

Já é hora de acordar - literal e figurativamente falando - para isso. Temos de acordar para o fato de que a maneira como iniciamos o dia tem muito a ver com o clima do restante dele. Temos diante de nós duas opções: levantar com o pé esquerdo (frase que arrepia minha esposa canhota!), de mau humor, contaminando todos ao nosso redor; ou acordar ciente da misericórdia e da graça de Deus que se renovam a cada manhã e, por isso, com uma alegria contagiante.

Percebemos a importância dos primeiros momentos matinais para estabelecer o “tom” do dia, em vários textos bíblicos. Reparamos que o patriarca Jó, “de madrugada... oferecia um holocausto em favor de cada um [de seus filhos]” (Jó 1.5). Jesus muitas vezes saía, de madrugada, para passar tempo em comunhão com seu Pai, antes de iniciar as atividades do dia (Marcos 1.35; Lucas 6.12). Moisés, pelo Espírito, conclamou os pais a ficarem “de vigia” desde os primeiros momentos do dia para educar seus filhos: “Ensine [as palavras de Deus] com persistência a seus filhos. Converse sobre elas... quando se deitar e quando se levantar” (Deuteronômio 6.7).

Como enfrentamos os primeiros momentos do dia e os primeiros contatos com a família podem nos influenciar o dia todo. Infelizmente, vai contra a natureza humana da maioria pular da cama “feliz da vida”. Sem uma obra sobrenatural do Espírito de Deus, essa é a hora em que nossos corações revelam-se “nus e crus”. Precisamos que Deus nos toque desde os primeiros momentos do dia. “Desperta, ó tu que dormes, levanta-te dentre os mortos, e Cristo resplandecerá sobre ti!” (Efésios 5.14).

Só Deus pode transformar nossa tendência natural para o egoísmo, isolamento, reclamação e irritação do início do dia, para algo que reflita o fruto do Espírito - amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade etc (Gálatas 5.22). Pense na última vez que você acordou atrasado e o banheiro estava ocupado. Depois você foi correndo para a cozinha, mas o leite já tinha acabado. Qual foi sua reação?

Exatamente, por isso, cabe a nós “acordar” para algumas prioridades que podem e devem marcar até mesmo os primeiros momentos da manhã, estabelecendo uma atmosfera agradável para o dia. Oferecemos algumas sugestões, que costumamos utilizar em nossa família e que, talvez, possam ser úteis também na sua. O ponto é que nos conscientizemos da importância de melhorar o ambiente e permitir que Deus atue nos primeiros momentos do dia para a glória dele:

1. Acorde com tempo suficiente. Quando perdemos a hora, levantamos mal. Estragamos o resto do dia antes dele começar. Mesmo sendo difícil precisamos nos disciplinar a acordar com tempo para dar conta das prioridades para o início do dia. (Também se aplica aos domingos!).

2. Passe alguns momentos em oração antes de sair da cama. Prepare seu espírito para o novo dia. Agradeça a Deus pela noite de descanso. Peça que ele controle suas palavras, atitudes e ações. Confesse sua ansiedade, irritabilidade e egoísmo. Entregue seus planos para o dia. Talvez você não gaste mais de 30 segundos em oração, mas esses momentos de preparo espiritual podem fazer toda a diferença. (Não me refiro aqui a devocional. Algumas pessoas a fazem logo pela manhã. Outras preferem fazê-la mais tarde).

3. Seja moderado nos primeiros contatos com outros seres humanos. Muitos demoram realmente a acordar. Infelizmente, alguns só podem ser declarados “vivos” depois das 10:00h da manhã. É engraçado, mas várias dessas pessoas se casam com aquelas que pulam da cama cedinho e começam a cantar e a dar glórias ao Senhor. E aí, os dois precisam de moderação: o dorminhoco ser mais amigável e o madrugador, mais respeitoso.

4. Procure focalizar em outros e não em si mesmo. Minha esposa faz isso. Logo depois de acordar, sempre me pergunta como passei a noite e como estou me sentindo. Normalmente, demoro uns 15 minutos até conseguir “sair de mim mesmo” e fazer as mesmas perguntas. Estou aprendendo, com ela. Podemos fazer isso com nossos queridos sem longos discursos, com um simples e alegre cumprimento, engatilhando, depois, perguntas rápidas sobre seu bem-estar:

- Bom-dia, Júnior!

- Descansou bem?

Pequenas frases podem nos fazer iniciar bem um novo dia. Acrescentadas a um abraço, um toque gentil, fornecem segurança e aconchego.

5. Discipline palavras e atitudes. Temos de conhecer a nós mesmos e aos membros da nossa família, com pontos fortes e fracos, mostrando paciência e tolerância diante das irritações inevitáveis do início de um novo dia. Será que o apóstolo Paulo estava pensando na fila do banheiro quando escreveu: “Livrem-se de toda amargura, indignação e ira, gritaria e calúnia, bem como de toda maldade. Sejam bondosos e compassivos uns para com os outros...”? (Efésios 4.31,32). Peça a Deus que a vida de Jesus seja manifestada através de você e em suas palavras mesmo quando faltar pasta de dente, quando o leite acabar, quando alguém deixar cabelos no ralo do chuveiro ou quando outra pessoa pegar, justamente, as páginas do jornal que você queria ler! Essas atitudes não são naturais em nós. Precisamos nos concentrar nelas e deixar que o Pai faça a obra em nossas vidas.

6. Tomem, sempre que possível, o café da manhã juntos. Para muitas famílias é realmente difícil todos estarem juntos para o café da manhã. Porém, mesmo que seja por poucos minutos, resgatar essa primeira refeição do dia com momentos em conjunto pode tornar tanto a nutrição, quanto os relacionamentos, mais saudáveis.

7. Estabeleça uma atmosfera agradável ao redor da mesa. Os pais precisam tomar a frente nisto. Não tolere palavras ásperas, murmuração, gritaria ou egoísmo. “Passe o café, seu burro” tende a alienar as pessoas! O tom do dia começa com a atitude e com o exemplo dos próprios pais.

8. Orem juntos. Ore antes ou depois do café, com todos presentes, de forma simples e rápida agradecendo a refeição, pedindo proteção e direção para as atividades do dia. Algumas famílias aproveitam para fazer, nessa hora, sua devocional familiar. Para a maioria, porém, o “culto doméstico” acaba se adequando mais para o final do dia. O que realmente importa é que pais e filhos se interessem pelas vidas e desafios uns dos outros. Aí se apresenta uma esplêndida oportunidade para os pais orientarem os filhos que enfrentam problemas de relacionamento com colegas, uma prova difícil, um evento esportivo importante etc. Por outro lado, os filhos também ficam mais “por dentro” das responsabilidades dos pais, tanto no trabalho quanto no cuidado do lar. E todos, juntos, podem buscar em Deus as forças necessárias para enfrentar o dia e o que ele trará!

Nossas ações refletem nossas prioridades, seja numa arquibancada, na fila para escovar os dentes ou ao redor da mesa. Elas sempre demonstram quem somos e o que valorizamos, principalmente ao acordar. Nesse momento estratégico do dia, devemos nos lembrar das palavras de Jesus: “Sem mim, vocês não podem fazer coisa alguma” (João 15.5). Essa conscientização nos leva a correr para Aquele que tudo pode fazer, inclusive, com que nosso dia valha a pena.

Realmente, já é hora de acordar!

David Merkh - Construindo um Lar Cristão

24/03/09